Laboratório do Ital amplia capacidade de pesquisa e desenvolvimento de bactérias láticas e probióticas

Postado em: 17/12/2021 ás 9:29 | Por: Assessoria de Comunicação

Nova estrutura integra área de Biotecnologia do Centro de Tecnologia de Laticínios do órgão da Secretaria de Agricultura de SP

Diante da crescente demanda dos consumidores por alimentos fermentados e funcionais, o Instituto Tecnologia de Alimentos (Ital), vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, acaba de inaugurar o Laboratório de Fermentações na área de Biotecnologia de seu Centro de Tecnologia de Laticínios (Tecnolat).

Voltada a estudos da produção de fermentos em escala laboratorial, a nova estrutura amplia a capacidade de pesquisa e desenvolvimento de novos processos e produtos que envolvem bactérias láticas e probióticas, principalmente biomassa e meios de cultura de menor custo, como aqueles à base de soro de queijo. Entre recursos humanos e infraestrutura, o investimento é de R$ 209 mil dentro do Plano de Desenvolvimento Institucional em Pesquisa (PDIP), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A inauguração faz parte do Programa de Metas do governo estadual.

“O grande interesse do público pela variedade de alimentos e bebidas que priorizem a saúde tem desafiado a indústria a produzir grandes quantidades de culturas viáveis que sejam funcionais e estáveis durante o processamento das matérias-primas e o armazenamento de produtos, além de serem acessíveis para as diferentes classes sociais e ambientalmente sustentáveis”, ressalta a pesquisadora responsável pelo novo laboratório e diretora do Tecnolat, Adriana Torres.

Segundo Adriana, as bactérias ácido láticas (BAL) e probióticas têm numerosas aplicações na indústria de alimentos e farmacêutica, sendo amplamente utilizadas tanto para produção de derivados lácteos e suplementos alimentares quanto para trazer características tecnológicas durante o processamento como a bioconservação, ou seja, conservação de alimentos e bebidas por métodos biológicos. “A necessidade do Laboratório de Fermentações partiu da dificuldade em produzir culturas de BAL em larga escala por serem microrganismos fastidiosos: a produção de biomassa com concentrações de 1010 células viáveis por grama ou mililitro implica usar os mais diversos meios de cultivo, adequados para cada espécie”, explica.

Com climatização e informatizada, a nova estrutura é composta por um fermentador de bancada (com um biorreator), um sistema de monitoramento contínuo de acidificação e incubadoras com agitação. Além de um fermentador com um conjunto de seis biorreatores automáticos, que trabalham de forma independente para controle de diferentes parâmetros (como pH, agitação, temperatura e oxigenação) e monitoramento do desempenho dos processos em tempo real. Este fermentador com seis biorreatores está sendo utilizado pela BioinFood, startup instalada no Tecnolat através de convênio de cooperação científica com o Ital para desenvolvimento de probióticos para aplicação em bases lácteas e de frutas.

Através de projeto de pós-doutorado já iniciado, via PDIP, está em desenvolvimento ainda expertise para iniciar a produção de fermentos láticos em escala laboratorial com meio de cultivo com menor custo do que os convencionais para produção de biomassa de bactérias láticas e probióticas. “Pode ser o ponto de partida para a implementação da produção comercial de culturas láticas no Tecnolat, fornecendo um novo tipo de prestação de serviços aos produtores brasileiros de derivados lácteos, bebidas funcionais e suplementos alimentares”, detalha a diretora da unidade técnica, que conta também com um medidor de atividade de água, um liofilizador, um mini spray dryer e dois biofreezers na área de Biotecnologia.

Para que o laboratório entrasse em operação, a equipe técnica ampliou seus conhecimentos com treinamento realizado pelo especialista argentino Gabriel Vinderola, doutor em Química, pesquisador independente do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (Conicet) do Instituto de Lactologia Industrial e professor adjunto da Universidade Nacional do Litoral (UNL). A visita e capacitação também foi fruto de investimento via PDIP.

Sobre o Ital

Localizado em Campinas/SP, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) realiza pesquisa, desenvolvimento, assistência tecnológica e difusão do conhecimento nas áreas de embalagem e de processamento, conservação e segurança de alimentos e bebidas.

Fundado em 1963, vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, o Ital possui unidades técnicas especializadas em carnes, produtos de panificação, cereais, chocolates, balas, confeitos, laticínios, frutas, hortaliças e embalagens, sendo certificado na ISO 9001 com parte dos ensaios acreditados na ISO/IEC 17025.

Por meio do Centro de Inovação em Proteína Vegetal, do Núcleo de Inovação Tecnológica e da Plataforma de Inovação Tecnológica, o Ital estimula alianças estratégicas para inovação e projetos de cooperação. Possui ainda Programa de Pós-Graduação aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Outras informações estão disponíveis no site http://www.ital.agricultura.sp.gov.br.

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: