Secretaria de Agricultura e Abastecimento cria Câmara Setorial de Sucos e Bebidas

Postado em: 03/12/2019 ás 11:24 | Por: Paloma Minke



A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo realizou no dia 22 a primeira reunião da Câmara Setorial de Sucos e Bebidas, com o objetivo de estabelecer um canal de comunicação com os entes da cadeia produtiva de sucos naturais.

Para Diogenes Kassaoka, coordenador da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), a criação da Câmara Setorial de Sucos e Bebidas atende a uma necessidade de melhor entender as particularidades deste segmento de grande importância para a balança comercial paulista. Somente a laranja para indústria ocupa a terceira posição entre os principais produtos no Estado de São Paulo, representando 6,6% do Valor da Produção Agropecuária Paulista, de acordo com dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA), atrás apenas da cana-de-açúcar, que representa 37%, e da carne, com 11% do montante arrecadado no Estado.

“Com o auxílio das empresas, queremos propor um desenho novo das Câmaras Setoriais, para que vocês consigam ocupar a posição natural das indústrias no Estado de forma permanente, propondo regras e normativas que ajudem o setor. Assim, nas Câmaras Setoriais mais estruturadas, como é o caso desta, queremos promover um ajuste fino para equalizar e tornar a cadeia ainda mais competitiva”, afirmou Kassaoka.

A partir de uma análise SWOT, que identifica as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, e será feita pelos componentes da Câmara Setorial de Sucos e Bebidas, a Secretaria poderá colocar todas as bases na mesma matriz e mapear os principais desafios do setor.

Secretário Gustavo Junqueira falou com os participantes da reunião por videoconferênciaPara Ibiapaba Netto, diretor-executivo da CitrusBR, o mercado interno brasileiro de bebidas tem um grande potencial, com 75% do consumo de suco de laranja concentrado na  praça paulista. “A Câmara Setorial deve ser orientada para o consumo e toda a regulamentação que envolve esse processo. Deve servir como um instrumento de indução de políticas públicas”, afirmou. “Precisamos saber quais são os mecanismos, dentro da Secretaria, para incentivar esse consumo, passando por uma série de questões como a educação. O papel do suco na nutrição dos cidadãos passa pelo Estado”, disse.   

Sugestão que foi enfatizada pelos demais participantes da reunião. “Precisamos incentivar o consumo, trabalho que vem desde os nutricionistas e deverá abranger toda a cadeia até o consumidor”, afirmou Luiz Guilherme Passetti de Souza, dos Laticínios Xandô. “É preciso ensinar à sociedade que 75% da alimentação diária precisa ser composta de verduras, frutas e legumes, priorizando alimentos coloridos”, enfatizou Roberta Suplicy, da empresa Urban Remedy, que oferece sucos prensados e alimentos funcionais.   

Para Luis Henrique Gallão, da Naturacitrus, a redução tributária também seria um caminho para fomentar o mercado “A redução de custos permitiria que mais pessoas buscassem o produto nas gôndolas dos supermercados”, pontuou.

“Faz muito sentido qualquer iniciativa de educação ou incentivo de consumo do suco de verdade, por meio de rotulagem é o ponto que mais vale. Nesse ponto, a Câmara poderá discutir de forma muito mais eficaz o que o setor está vivendo. É a oportunidade de pessoas efetivas no segmento serem ouvidas e a discussão ser levada à frente”, observou Sarita Rodas, do Grupo Junqueira Rodas.

 

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: