Produtores rurais paulistas compartilham experiências de sucesso no III Fórum Consultivo do Microbacias II, em Barra Bonita

Postado em: 15/09/2016 ás 13:31 | Por: Comunicação SAA

Secretário Arnaldo Jardim ressaltou que o Microbacias II proporciona autonomia para que o produtor aprenda a enfrentar os desafios valorizar seu produtoO secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, reiterou a centenas de produtores rurais na última quarta-feira, 14 de setembro de 2016, o compromisso do governo paulista em cuidar do pequeno produtor e assegurar-lhe autonomia para agregar valor a sua produção e gerar renda, por meio do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II - Acesso ao Mercado.

“A grande herança do Microbacias II que queremos deixar ao produtor é que ele possa caminhar com seus próprios pés, tenha fôlego para aceitar novos desafios e ampliar as responsabilidades. Apoiar o pequeno produtor é uma determinação do governador Geraldo Alckmin”, afirmou o secretário, durante o III Fórum Consultivo do Microbacias II – Acesso ao Mercado, realizado em Barra Bonita.

Na ocasião, representantes de associações e cooperativas e diretores e técnicos dos Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) fizeram um balanço das ações do último ano e compartilharam experiências sobre os benefícios proporcionados pelo projeto do governo paulista, que tem gerado empregos, valorizado a produção e ampliado a renda do produtor e a competitividade no seu ingresso no mercado. Ação do Governo paulista, o Microbacias é executado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Coordenadoria de Assistência Integral (Cati), e pela Secretaria do Meio Ambiente, por meio da Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais (CBRN).

Para Arnaldo Jardim, a sexta Chamada Pública, que teve um investimento do Estado de mais de R$ 60 milhões (leia mais aqui), representa um amadurecimento do projeto, visto que foram aprovadas 138 propostas de negócios nesta etapa, quase o total da soma das iniciativas das cinco fases anteriores. “Comemoramos a ampliação do projeto até 2017 e estamos garantindo que a natalidade desses planos possa permanecer e se desenvolver, mas agora temos o desafio de concluir essas iniciativas em um ano, para que a sexta chamada seja efetivada”, finalizou o secretário.

O titular da Pasta alertou os produtores que a união é fundamental para cumprir a meta e colocar em prática as propostas de melhorias. “As organizações passam por problemas e é comum haver divergências, pois as pessoas pensam de forma diferente, mas queremos reiterar a importância de manter a unidade nas associações e cooperativas”, disse Arnaldo Jardim.

A dinâmica oferecida pelos produtores tem contribuído ainda para gerar mudanças internas na Secretaria como, por exemplo, o projeto para simplificar a implantação e regulamentação das agroindústrias (leia aqui). “Temos buscado fortalecer o Serviço de Inspeção do Estado de São Paulo (Sisp), avançando na área de produtos lácteos e compatibilizando com o sistema nacional, o que queremos ampliar a outros segmentos”, informou o secretário.

Caminhar com as próprias pernas

A autonomia proporcionada aos produtores foi amplamente destacada pelos gestores do projeto durante o Fórum Consultivo. Para o gerente técnico do Microbacias II, João Brunelli Junior, o comprometimento dos produtores é fundamental para o sucesso do projeto. “Se não acreditassem no potencial da inicativa, certamente não investiriam, mas quando há foco e investimento, os resultados sempre aparecem. O grande mérito do projeto tem sido ensinar os agricultores a caminhar com as próprias pernas”, avaliou. De acordo com Brunelli, o maior desafio das organizações é posterior à obtenção dos equipamentos e estruturas com apoio do governo. “É se manter no mercado, gerir os negócios e antever os riscos para poder usufruir dos resultados”, observou o especialista.

Além de gerar empregos e renda ao produtor, o Microbacias II proporciona condições para desenvolver uma agricultura sustentável, conforme ressaltou o titular da Cati, José Carlos Rossetti. “A parceria entre o produtor e o Estado mostra cada vez mais que não se pode tratar a atividade agrícola como antigamente, quando era realizada apenas dentro da porteira. Isso não é sustentável, é preciso agregar valor ao produto. Do valor agregado ao produto até chegar ao consumidor, 12% representam o setor de insumos, 27% ficam na produção e 60% estão no processo de transformação, logística, transporte e comercialização”, explicou.  

Para o titular da Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais (CBRN), da Secretaria do Meio Ambiente, Danilo Angelucci de Amorim, que representou o secretário Ricardo de Aquino Salles, o Microbacias II tem ampliado a renda do produtor, mas mais do que isso, “tem como foco o processamento dos produtos e a valorização, pois ele chega ao mercado com um selo e uma marca, com grande relevância econômica e ambiental”, afirmou, ressaltando que o projeto resultou no desenvolvimento de uma área de 601,7 hectares de sistemas agroflorestais e 610 beneficiários.

De acordo com o secretário de Controle Ambiental de Barra Bonita, Antonio Bestana Neto, que representou o prefeito Guilherme Belarmino, os benefícios do Microbacias II se estendem à toda a cadeia produtiva. “O projeto traz novas tecnologias ao produtor, assim como promove a recuperação de estradas rurais aos municípios, preservação do meio ambiente e incentivo ao associativismo e ao cooperativismo”, pontuou.

Também participaram do Fórum Consultivo o prefeito de Jeriquara, Sebastião Henrique Dal Piccolo; a prefeita de Alto Alegre, Helena Berto Tomazzini; o diretor da Cati Regioal de Jaú, João André Miranda; a gerente do Microbacias II na Secretaria do Meio Ambiente, Helena Carrascosa, e a coordenadora dos subprojetos ambientais, Neide Araújo; o presidente da Associação dos Produtores Rurais do Município de Itirapuã Paulista (Apromip), Juarez Martins Ribeiro, que representou os produtores rurais; o diretor do Instituto de Cooperativismo e Associativismo (ICA), da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), Diógenes Kassaoka; o secretário executivo do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap), Fernando Aluízio Pontes Penteado; e o diretor do Instituto de Economia Agrícola (IEA), Celso Vegro.

Produtores
Agricultores de todo o Estado participaram da terceira edição do Fórum, relatando as conquistas obtidas com o apoio do governoProdutores de todo o Estado acompanharam os debates e depoimentos sobre os resultados do Microbacias II
paulista por meio do Microbacias II. O agricultor Claudio Miranda, de Eldorado Paulista relatou que a Associação dos Remanescentes do Quilombo do Bairro Pedro Cubas, da qual faz parte, acabou de adquirir um trator e um caminhão. “Hoje abastecemos a comunidade com produtos como feijão, arroz, batata, verduras, mas os veículos serão de grande ajuda para que uma parte dos produtos possa ser transportada para fora da cidade, melhorando a vida de 64 famílias associadas”, disse.

Para o presidente da Associação dos Criadores de Ovinos e Produtores Rurais de Ocauçu e Região (Acopror), Paulo Henrique de Assis Menegucci, que pleiteou a construção de um espaço para o armazenamento dos produtos, “o grande problema dos associados hoje não é produzir, mas sim ter um local para armazenar e depois distribuir os alimentos. Este será o grande foco da nossa iniciativa com apoio do Microbacias II, que agregará valor à produção de 31 famílias que hoje são associadas”, contou.

Atualmente, a associação fornece alimentos para a merenda escolar de mais de 2.700 crianças em escolas de Ocauçu, Lupércio e Alvinlândia. “Tenho certeza que a construção da sede atrairá mais produtores para nossa entidade”, comemorou Menegucci.

A experiência de produtores rurais beneficiados pelo Microbacias II, apresentadas por meio de vídeos durante o Fórum Consultivo, pode ser visualizadas nos seguintes links:

Eldorado - Quilombo Ivaporunduva – Bananicultura e pupunha

Juquiá – Coopafarga – Fruticultura - Banana

Botucatu – Adequação de estrada rural

Lins – Apol – Olericultura e Fruticultura

Jundiaí – Ava – Vitivinicultura

 Eldorado – Quilombo São Pedro - Olericultura

 Urupês –  Associação de Produtores Rurais de Urupês - Citricultura (limão)

 Leme – Assomogi – Olericultura e Fruticultura

 Jeriquara – Associação dos Produtores Rurais de Jeriquara – Cafeicultura

 Adamantina – Aplemar – Leite

Sete Barras – Coopafasb – Bananicultura

Por: Paloma Minke
Fotos: João Luiz

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: