Produtores orgânicos ganham espaço para cursos e seminários

Postado em: 22/10/2015 ás 19:39 | Por: Comunicação SAA

22201284828_11cc18111f_zO secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, participou da inauguração do anfiteatro da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento (UPD) de Agricultura Ecológica, localizada em São Roque, no dia 22 de outubro de 2015. O auditório foi conquistado devido aos esforços de vários agentes, produtores, representantes do poder público e de entidades, que se reuniram e buscaram apoio para a conclusão do projeto.

Na área de abrangência da UPD de São Roque estão 77 municípios, mas a unidade responde por agricultura orgânica em todo estado de São Paulo, desenvolvendo pesquisas com hortaliças, banana e alcachofra, produzidas sem o uso de adubos e defensivos químicos. “Atualmente, a procura por alimentos orgânicos é maior do que a oferta. Para incentivar ainda mais o consumo e também o cultivo desses alimentos o governo do Estado lançou, em março de 2013, o "Programa São Paulo Orgânico". O Projeto oferece os cursos de capacitação e ainda disponibiliza linha de crédito aos produtores, por meio do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap)”, afirma Sebastião Wilson Tivelli, pesquisador científico e chefe da UPD de Agricultura Ecológica.

Feliz por compartilhar essa conquista com os produtores, Arnaldo Jardim lembrou que a busca por uma alimentação saudável é uma preocupação e orientação do governador Geraldo Alckmin, que, como médico, reconhece a importância de oferecer alimentos mais saudáveis para toda a população, especialmente para as crianças, por meio da merenda escolar.

De acordo com o secretário, é possível trazer a alimentação saudável para o cotidiano das crianças de duas formas: criando um marco de referência para que os produtos orgânicos possam ser adquiridos para compor a merenda escolar através de compra direta pelo governo e instalando hortas nas escolas. Uma das formas é implantando o programa Horta Educativa, um projeto voltado para crianças de 4 a 8 anos estudantes em 100 escolas do Estado de São Paulo que tenham área para o plantio e cultivo de uma horta com legumes, verduras e hortaliças, que vão servir de alimento para as próprias crianças nas refeições escolares.

Arnaldo Jardim afirmou que esse é um bom momento para se inserir novas práticas no contexto da produção de alimentos e que a pesquisa tem um papel fundamental de trazer soluções para problemas que pareciam insolúveis.

Um bom exemplo é o desenvolvimento do biofertilizante bokashi, pelo pesquisador Issao Ishimura, que permitiu reduzir em 40% os custos para a produção do composto utilizado para cultivo de orgânicos.

Originalmente, a tonelada do adubo japonês custava em média R$ 810 e, com a substituição de alguns componentes, a pesquisa paulista conseguiu desenvolver um bokashi 40% mais barato, ao custo de R$ 460 a tonelada. “Foi com a ajuda da pesquisa que os produtores de tomate orgânico passaram a produzir mais. Quando os pioneiros na produção orgânica utilizavam no cultivo de tomate apenas compostos simples, conseguiam produzir pouco, apenas 0,5 kg de tomate por pé. Na cidade de Ibiúna, há um grande produtor que consegue produzir até três quilos por pé, ou seja, seis vezes mais ", comemorou o secretário.

O secretário lembrou ainda das ações que estão sendo realizadas pela Pasta para ampliar o acesso e o consumo de orgânicos. Uma delas foi o conjunto de atividades realizadas na sede da Secretaria e no Parque da Água Branca, em comemoração à Semana da Alimentação, enfocando novos hábitos alimentares e o consumo de produtos mais saudáveis e produzidos de maneira sustentável.

Outra medida importante é a reativação das comissões técnicas que reúnem funcionários de várias áreas para disseminar o conhecimento e orientar as ações da Secretaria de Agricultura. Ou ainda o trabalho realizado no âmbito das Câmaras Setoriais, que congregam representantes de todos os elos da cadeia. A Câmara de Agricultura Ecológica é uma das vinte que foram reativadas pela atual gestão e estão trabalhando a todo vapor.

Outro entusiasta da produção de orgânicos, o deputado estadual Aldo Demarchi, coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Produção Orgânica e Desenvolvimento da Agroecologia, declarou que está encaminhando um projeto de lei para instalar hortas nas escolas públicas.

De acordo com o deputado, o Estado oferece 53 milhões de refeições e, se os alimentos forem adequados, muito menos dinheiro terá que ser destinado à compra de remédios. Além do mais, as crianças precisam saber o valor nutricional dos alimentos. São Roque, afirmou Demarchi, é o ponto de partida, de onde sairão exemplos para todo o estado e para o país.

O prefeito municipal, Daniel de Oliveira Costa, é outro defensor do trabalho da UPD. Segundo ele, uma lição que aprendeu com os produtores de orgânicos é que não basta se desenvolver a qualquer custo, é preciso ter consciência e respeitar o meio ambiente. Nada melhor do que levar esses conceitos para serem vivenciados dentro da escola, construindo uma rede com os produtores rurais, pesquisadores e técnicos para apoiar a educação e ser apoiada por ela.

Para a produtora Adrínia Barbosa Peres, que cultiva frutas e legumes no município de Ibiúna, é uma grande alegria ver a inauguração do auditório. Segundo ela, a UPD realiza um trabalho maravilhoso e sempre que os produtores têm alguma dúvida vão até lá para conversar com os pesquisadores. Essa é também é a opinião de Maurício Tachibana, presidente do Sindicato Rural de Ibiúna, que afirma que sempre que os associados enfrentavam algum problema na plantação, vinha buscar Sebastião Tivelli ou o Issao Ishimura para dar uma palestra no Sindicato. “Agora, com o auditório, ficou mais fácil. É só encaminhar o pessoal para cá”, afirma.

O produtor Leonardo Called Farra, que atua há nove anos no município, também se declarou feliz pela conquista do espaço, mas afirma que ainda existem muitas coisas a serem feitas e ele, como integrante da Frente Parlamentar e da Câmara Setorial, está disposto a continuar lutando para trazer melhorias para a UPD, já que isso significa melhoria para todos os produtores.

O evento contou com a presença do coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Orlando Melo de Castro; do diretor da Apta Regional, Sílvio Tavares e do presidente da Câmara Setorial de Agricultura Ecológica,  Márcio Stanziani; além de vereadores e outras autoridades.


Sobre a UPD

Com o Projeto São Paulo Orgânico, a UPD de São Roque passou a ser reconhecida nacionalmente como Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento em Agricultura Ecológica.

Desde sua criação, já foram realizados cerca de 200 cursos de capacitação, sendo que nos últimos dois anos foram capacitados 277 técnicos. As atividades tiveram início em 1928, como Estação Experimental do Instituto Agronômico (IAC) de Campinas. A partir de 1994, foram excluídos os produtos químicos.

Por Nara Guimarães

Mais informações

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

(11) 5067-0069

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: