Produtor rural de Pratânia conta como o Microbacias II mudou a vida dos agricultores da região

Postado em: 01/06/2016 ás 18:45 | Por: Comunicação SAA

Bassetto: eu via as tecnologias do século XXI, sem ter condições de acessá-lasLuiz Carlos Bassetto, presidente da Associação dos Produtores Rurais da Microbacia Hidrográfica do Rio Claro, de Pratânia, região de Botucatu, falou em nome dos produtores rurais das 134 associações e cooperativas que tiveram seus projetos aprovados durante a 6ª chamada pública do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II – Acesso ao Mercado, em evento realizado na terça-feira, 31 de maio, no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, com a presença do governador Geraldo Alckmin e do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

Em um discurso emocionado, Bassetto explicou que foi um menino criado para trabalhar com instrumentos do século XIX. “Eu trabalhei no campo com tração animal e via as tecnologias do século XXI, sem ter condições de acessá-las por falta de recursos financeiros”, lembrou. De acordo com o produtor, os agricultores produziam café, mas não sabiam como avaliar a qualidade do produto, eram os compradores que faziam o julgamento. Por isso, eles se reuniram e fundaram a Associação. A partir daí, resolveram trabalhar em duas vertentes: agregar valor ao produto e reduzir os custos de produção.

Organizados, os produtores foram em busca de apoio financeiro e apresentaram propostas de negócios para participar do Microbacias II. “O programa vem com uma injeção de recursos, que o Governo do Estado de São Paulo faz, para possibilitar que as nossas organizações de pequenos produtores rurais tenham acesso a novas tecnologias e, com isso, leva dignidade à nossa população rural”, afirmou Bassetto.

O produtor fez questão de frisar que o apoio do governo estadual, por meio da Secretaria de Agricultura, é importante não só pelo seu reflexo mais imediato, que é a melhoria de renda no campo, mas, principalmente, porque faz com que as pessoas que ali vivem e insistem em permanecer nesta atividade tenham a perspectiva de uma vida melhor, de futuro. “Eu vejo meu filho, que está crescendo e vai herdar a atividade, como eu herdei, com melhores condições para fazer muito mais pela sua família”, concluiu.

Bassetto falou com bastante conhecimento sobre os benefícios que o Microbacias II proporciona aos produtores rurais. A Associação dos Produtores Rurais de Pratânia já apresentou três propostas de negócios para aquisição de equipamentos como colheitadeira, máquina de beneficiamento de café, secador, fornalha, entre outros, aquisição de veículo, construção de silo para armazenagem dos grãos e implantação de uma agroindústria. Os projetos somados tiveram um custo de R$ 1,838 milhão, dos quais 70%, ou R$ 1,287 milhão, serão aportados pelo Governo Estadual e o restante, pouco mais 29%, cerca de R$ 550 mil, são de responsabilidade dos associados.  

Bassetto contou sua história para Geraldo AlckminO Projeto 

O Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável Microbacias II – Acesso ao Mercado tem como objetivo reforçar a capacidade de negociação coletiva dos agricultores e ampliar as oportunidades de negócios, principalmente dos produtores familiares.  O Microbacias é uma ação do Governo do Estado de São Paulo, executada pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Coordenadoria de Assistência Integral (Cati) e pela Secretaria do Meio Ambiente, por meio da Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais (CBRN), com recursos provenientes do Governo de São Paulo, do acordo firmado com o Banco Mundial, com contrapartida de prefeituras, organizações de produtores rurais e comunidades tradicionais. 

Em sua sexta e atual chamada, quase triplicou o número de manifestações de interesse, saltando de 61, na chamada anterior, para 146 – um crescimento de quase 240%. Destas, foram aprovadas 134, com valor de R$ 91.029.181,36, dos quais R$ 58.795.220,92 são aportados pelo Estado e o restante como contrapartida por parte das associações e cooperativas. Ainda existem cinco propostas em fase de revisão e avaliação, podendo ser aprovadas nos próximos dias. Dos projetos aprovados, 90 são de associações, com 2.146 beneficiários, e 44 de cooperativas, com 1.485 beneficiários, somando 3.631 produtores, dos quais 93,4% são agricultores familiares.

Os projetos são voltados às diversas cadeias produtivas existentes em território paulista como: olericultura, fruticultura, leite, grãos, café, mel, piscicultura, cana-de-açúcar, citricultura, mandioca, urucum, amendoim, maricultura e pinus e visam a compra de equipamentos, maquinários e veículos; construção de casas de embalagens; reformas, entre outros. Dos 40 Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), 34 participaram da sexta Chamada, sendo que Araçatuba e Sorocaba apresentaram o maior número de propostas aprovadas, com 13 e 12, respectivamente, seguidos de 10 em Itapeva.

O Microbacias II possibilita que o homem do campo se desenvolva, cresça e crie novas oportunidades de acesso ao mercado, aumentando a produtividade e gerando renda. “O número de Manifestações de Interesse cresceu exponencialmente na sexta Chamada Pública do Microbacias II. Esse expressivo aumento mostra que estamos no caminho certo para agir em prol da agricultura paulista, conforme orientações do governador Geraldo Alckmin”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Por: Nara Guimarães
Fotos: João Luiz e Hélio Filho

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: