Parceira da Secretaria de Agricultura na implantação do ILPF, Associação Brasileira de Criadores completa 90 anos

Postado em: 06/12/2016 ás 15:18 | Por: Comunicação SAA

ABC promoveu uma verdadeira evolução no setor, elevando a produtividade, avaliou o secretário Arnaldo Jardim (Foto: Paulo Prendes)Rumo ao seu centenário e com grande contribuição para o desenvolvimento da pecuária nacional, a Associação Brasileira de Criadores (ABC) promoveu uma verdadeira evolução no setor, elevando a produtividade e incorporando novos conceitos tecnológicos e sustentáveis, conforme ressaltou o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, que participou do evento comemorativo de 90 anos da entidade, realizado na última segunda-feira, 5 de dezembro de 2016, na capital paulista.

“O Brasil é, cada vez mais, o grande provedor mundial de proteína animal e a nossa pecuária poderá avançar mais. O Estado de São Paulo é o centro tecnológico e da tomada de decisões do setor agropecuário. Temos realizado um grande trabalho em parceria com a ABC especialmente para a implantação da Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), uma nova fronteira para o segmento, do ponto de vista da produtividade”, afirmou.

De acordo com o secretário, “os institutos de pesquisa da Pasta seguem a orientação do governador Geraldo Alckmin para desenvolver novas práticas para o ganho de peso, novas forragens que podem melhorar a nutrição animal, além das tecnologias para o melhoramento genético dos animais”. O titular da Pasta citou ainda o sistema do Boi 7.7.7, desenvolvido pelo Instituto de Zootecnia (IZ), e a busca por soluções para enfrentar as doenças e pragas, promovendo a sanidade animal, por meio do Instituto Biológico (IB).

Para o presidente do Conselho de Administração da ABC, Luiz Alberto Moreira Ferreira, a história da entidade, fundada em 1926, se confunde com a de São Paulo. “Com o apoio dos associados, realizamos muitas ações, como a digitalização de nossas publicações e a participação em importantes eventos do setor. Ao completarmos 90 anos de trabalho, fortemente dedicados ao agronegócio nacional, damos início a uma nova era para transformar a pecuária em um dos expoentes de nossa economia, tanto rentável quanto sustentavelmente”, afirmou.

Reconhecimento

A noite festiva foi marcada por homenagens a personalidades do cenário político, produtivo e acadêmico que atuam no fortalecimento da agropecuária nacional. O pecuarista Carlos Viacava, especializado na seleção de nelore mocho e um dos principais incentivadores do sistema ILPF, foi premiado pela ABC na categoria “Pecuária de Corte”. “Esse sistema é uma atividade que recomendamos aos produtores porque garante o aproveitamento integral produtivo, mantendo a sanidade e a fertilidade do solo, maior lotação de animais na fazenda, maior faturamento, variedade de atividades e menor custo de produção. A genética é determinante, mas se o ambiente não for adequado, pode ser limitante”, disse o homenageado, que recebeu o certificado das mãos do secretário Arnaldo Jardim.

Como alternativa à alta dos preços nos fertilizantes, o produtor Makoto Sekita iniciou a atividade de pecuária leiteira em 2008 e, por seu destacado desempenho, também foi homenageado na noite. “A pecuária de leite era a melhor alternativa para obter o esterco necessário para a produção de hortaliças como alho e cenoura”, contou o produtor, que chega a produzir 48 mil litros de leite por dia, com a expectativa de ampliar esse resultado para 55 mil litros.

Para o diretor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), Luiz Gustavo Nussio, que foi considerado “Personalidade de Ensino/Pesquisa”, o prêmio é um importante reconhecimento à sua trajetória profissional de 30 anos e à instituição de ensino. “O trabalho realizado pela ABC, definitivamente, nos trouxe ao atual momento da pecuária nacional. A entidade se tornou referência no associativismo rural, fazendo com que os criadores pudessem usar esse elo de representatividade política, de transformar essa casa num mote de aspiração agropecuária”, afirmou.

Para o presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Luiz Carlos Corrêa Carvalho, premiado na categoria “Associativismo”, o agronegócio tem importante papel para a retomada econômica do País. “Temos à frente grande desafios. O Brasil é o grande protagonista para alimentar o mundo no século 21, devemos liderar toda a inovação do mundo tropical”, afirmou.

“Poucas são as entidades próximo ao seu centenário no País, mas algumas são do setor agropecuário, como a ABC. E o Brasil tem um papel reservado de ajudar o mundo a resolver o problema de segurança alimentar, sendo que a essência do nosso agronegócio está na produção agropecuária”, avaliou Marcos Sawaya Jank, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Assuntos Corporativos da BRF para a Ásia, que também foi homenageado.

O senador Aloysio Nunes Ferreira Filho, que recebeu a premiação de “Personalidade do Ano” pelo trabalho em defesa do desenvolvimento do País, foi representado pelo conselheiro da ABC, Luiz Antonio Xavier Porto.

Para o coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Orlando Melo de Castro, a ABC iniciou atividades em um momento estratégico da pecuária nacional. “O setor começava a tomar forma, com a introdução de novas raças no País e o melhoramento genético. Nada mais justo do que criar uma entidade para propiciar orientações e informações para dar prosseguimento à evolução e profissionalização da atividade”, disse.

Por: Paloma Minke

Fotos: Hélio Filho

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: