Governador inaugura estradas rurais recuperadas em Indiaporã, pelo Programa Melhor Caminho/Pontos Críticos

Postado em: 07/07/2016 ás 10:29 | Por: erick

No total, foram investidos R$ 827.189,19, sendo R$ 699.812,32 por parte do Governo paulista e a contrapartida de R$117.376,87 do município (foto: Codasp)O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin inaugurou um trecho 5,45 quilômetros de estradas rurais no município de Indiaporã, no dia 1º de julho. As estradas rurais INP 326 e INP 361, que passam pelo Bairro Pádua Diniz foram restauradas por meio do Programa Melhor Caminho/Pontos Críticos, executadas pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, que mantém a Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp), facilitando o escoamento da produção agrícola da região.

No total, foram investidos R$ 827.189,19, sendo R$ 699.812,32 por parte do Governo paulista e a contrapartida de R$117.376,87 do município. Na oportunidade, o governador esteve acompanhado do diretor-presidente da Codasp, Alexandre Penteado Pires.

O município de Indiaporã está situado no Escritório de Desenvolvimento Rural (EDR) de Fernandópolis que, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), tem como os cinco produtos de maior valor de produção agropecuária (VPA) a cana-de-açúcar, a carne bovina, o leite, a laranja para indústria e a carne de frango, que com os demais produtos, totalizam um VPA de R$ 725,23 milhões.

Programa Melhor Caminho/Pontos Críticos   

O conceito de atendimento de Pontos Críticos foi proposto pelo secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, ao governador Geraldo Alckmin, que viu nela uma oportunidade de atender às necessidades de mais produtores rurais em mais cidades do Estado de São Paulo. Assim, o Programa Melhor Caminho, executado pela Codasp foi renovado com o novo conceito, para otimizar seu trabalho e investimento.

Neste novo momento, em vez de readequar vários quilômetros de extensão da estrada, os técnicos da Codasp identificarão qual é o ponto crítico daquele trecho.

 “Com a readequação, cumprimos uma das exigências do governador Geraldo Alckmin, que é unir ganho de produtividade e questão ambiental na agropecuária paulista. O Melhor Caminho faz com que a água fique na lavoura, ela não escorre para a baixada, para o rio, deixando de alimentar as nascentes e causando erosões nas propriedades rurais. Garantimos que a água realize seu ciclo natural”, destacou o secretário Arnaldo Jardim.

O objetivo é ganhar tempo, poupar recursos e garantir a trafegabilidade com menos tempo de operação das máquinas – com o mesmo resultado de antes, que considera não apenas a estrada, mas também a conservação de solo e água.

Isso porque a Codasp realiza um estudo do solo antes de começar a reabilitação, levando em conta qual o índice pluviométrico da região. A equipe quebra o barranco e “levanta” a estrada em vez de afundá-la ainda mais, esta é a diferença primordial do Programa.

Outro destaque das obras é o chamado bigode, uma saída para a água escorrer não pela estrada – indo parar no rio -, mas sim para as laterais, garantindo que ela infiltre no solo e abasteça o lençol freático. Devido a isso, as propriedades rurais atendidas não ganham apenas um melhor tráfego, mas também um solo mais fértil, com mais água infiltrada e sem erosão – refletindo diretamente em ganho ambiental e de produtividade e renda.

Por isso, outra novidade é que funcionários dos municípios passarão a ser treinados para fazerem a manutenção nos moldes de qualidade do Programa, com transferência de tecnologia por parte da Codasp.

“Com a readequação, cumprimos uma das exigências do governador Geraldo Alckmin, que é unir ganho de produtividade e questão ambiental na agropecuária paulista. O Melhor Caminho faz com que a água fique na lavoura, ela não escorre para a baixada, para o rio, deixando de alimentar as nascentes e causando erosões nas propriedades rurais. Garantimos que a água realize seu ciclo natural”, destacou o secretário Arnaldo Jardim.

De 2011 a 2015, o Programa Melhor Caminho entregou 2.696,97 quilômetros de vias readequadas por meio de 401 obras, em um investimento total de R$ 288.652.129,38.

 Multiplicação

Com a obra entregue, a manutenção dos trechos readequados fica por conta da prefeitura de cada município. Se bem realizada, garante que as estradas mantenham sua funcionalidade por até 15 anos, como já demonstram bons exemplos de conservação em outros municípios paulistas por onde o Programa Melhor Caminho passou.

Para assegurar a manutenção das obras do Convênio garantindo os instrumentos de preservação de solo e água, a Codasp vai multiplicar seu conhecimento em readequação de estradas vicinais, ensinando aos técnicos dos municípios como realizar de forma correta as futuras obras que eles necessitarem nessas estradas.

Com tais conhecimentos, os operadores de máquinas das Prefeituras deixarão de realizar a manutenção das estradas por meio de raspagem do solo com patrola, causando o rebaixamento de nível do leito da estrada, e realizarão trabalhos voltados principalmente com a preocupação de manter o bom escoamento da água da chuva e manter apropriadas as condições do solo.

Por: Paloma Minke

 

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: