Feira em Campinas destaca potencial de crescimento da agricultura irrigada

Postado em: 02/08/2017 ás 13:47 | Por: Comunicação SAA

A primeira edição da Feira Internacional da Irrigação Brasil 2017 teve início na terça-feira (1)Para incentivar o uso de tecnologias de irrigação, que têm grande potencial para ampliar a produtividade sem o aumento da área agrícola cultivada, teve início na terça-feira (1) a primeira edição da Feira Internacional da Irrigação Brasil 2017, em Campinas. O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, e o titular da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), João Brunelli Jr., participaram da abertura do evento.

Para Arnaldo Jardim, as tecnologias de irrigação se tornam cada vez mais necessárias em um momento em que as mudanças climáticas mundiais tendem a uma restrição hídrica, com alternação brusca de regimes de chuva e períodos de escassez. “A situação impõe novas tecnologias de reserva de água, a necessidade de planejamento a médio prazo e novas tecnologias e equipamentos”, ponderou.

No Estado de São Paulo, novas práticas de conservação da água e manejo do solo foram adotadas e têm sido amplamente disseminadas ao setor produtivo por meio da Cati. “Também fizemos o Programa Nascentes, em Holambra, com a recuperação de 170 nascentes, bem como estradas rurais para evitar o assoreamento dos rios, e a instalação de tratamento de esgoto nas propriedades rurais e sistemas de reserva de águas de chuva”, explicou Arnaldo Jardim.

Por meio do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap), há ainda uma linha de financiamento para a aquisição de sistemas de irrigação, com juros diferenciados para o produtor. “Repensar este conceito é uma condição indispensável, ao lado de medidas de incentivo. Que São Paulo possa ser ainda mais ousado na busca de ações para manter a harmonia entre a agricultura e o meio ambiente, como nos determina o governador Geraldo Alckmin”, finalizou o titular da Pasta.

Com mais de 50 expositores, a Feira traz novas tecnologias, possibilita negócios e promove palestras e minicursos para capacitar o produtor. Uma iniciativa de grande relevância para ampliar a utilização das técnicas, na opinião do diretor executivo da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho) e ex-ministro da Agricultura, Alysson Paulinelli. “A irrigação no Brasil deixou de ser somente uma iniciativa governamental e hoje é resultado esforço e da dedicação da iniciativa privada”, disse, ressaltando que é o momento de o Brasil acreditar em si próprio no que se refere à irrigação.

Para Paulinelli, a gestão dos recursos hídricos precisa funcionar de forma racional. “Em 10 anos, o País poderá ter 15 milhões de hectares irrigados, dobrando nossa capacidade produtiva. E podemos tornar São Paulo a ponta de lança dessa nova fase da irrigação brasileira”, destacou.

Para o diretor-executivo da Câmara Setorial de Equipamentos de Irrigação da Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas (Abimaq), Carlos Eduardo Demarchi, a Feira é "importante para difundir e fortalecer a conscientização do público de que, se bem utilizada, é um expressivo ganho de produtividade ao setor", afirmou.

De acordo com Christian Bernert, gerente da Kadox, empresa distribuidora de produtos de irrigação para mais de 1.400 pontos de revenda profissional, a maior demanda do setor atualmente tem sido a automação, que apresenta elevada eficácia com o mínimo de mão-de-obra. “Hoje, controladores de irrigação podem ser conectados à internet e monitorados em tempo real”, explicou. 

Para Bernert, o setor agropecuário é atualmente o motor da economia brasileira e a irrigação cresce na mesma proporção, por apresentar uma produção maior com a utilização da mesma área de cultivo. “Esse efeito multiplicador da irrigação tem feito com que ela seja muito procurada”, finalizou o expositor.

O bom momento vivido pelo segmento tem propiciado o surgimento de novos empreendimentos como a empresa Brasil Drip que, há 10 dias no mercado, aposta em tecnologias exclusivas de irrigação por gotejamento, mas prioriza a capacitação dos produtores. "Sem o correto uso, o produtor não vai conseguir extrair o máximo potencial do equipamento, que pode ampliar a produtividade e diminuir a área plantada, com ganhos ambientais”, afirmou o sócio-proprietário da empresa, Luiz Andrade, que acumulou mais de 30 anos de experiência em extensão rural para iniciar agora seu próprio negócio.

A irrigação é um insumo fundamental para melhorar este potencial do setor, conforme lembrou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Campinas, André Zuben. “Campinas, que já vem buscando ampliar o potencial da agricultura e bioeconomia, com iniciativas como o Agropolo, sedia esta feira para potencializar o conhecimento nesta área, que contribuirá para cumprir este destino tão nobre do País, que é produzir alimento para o mundo todo”, disse.

Por: Paloma Minke
Fotos: Paulo Prendes

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: