Em Ituverava, universidade orienta produtores a descartarem corretamente as embalagens de defensivos agrícolas

Postado em: 16/08/2016 ás 9:45 | Por: erick

Central de recebimento existe há 17 anos e foi a pioneira instalada numa instituição de ensino (Foto: João Luiz)

Em Ituverava, universidade orienta produtores a descartarem corretamente as embalagens de defensivos agrícolas

Há 17 anos, a Central de Recebimento de Embalagens Vazias de Agrotóxicos do Projeto Campo Limpo funciona no campus da Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram) e Fundação Educacional (FE), em Ituverava, com o apoio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, sendo a primeira do País instalada e gerenciada por uma instituição de ensino. Antes, essas unidades só eram instaladas em indústrias e empresas especializadas. Em 2015, a unidade recebeu 265,8 toneladas de embalagens agropecuárias para reaproveitamento ou descarte. No primeiro semestre deste ano, já foram contabilizadas 183,7 toneladas do material.

A unidade instalada na Fafram integra a rede do Projeto Campo Limpo, realizado pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inPEV), que é o órgão responsável pelo sistema de recolhimento das embalagens no País. O projeto visa promover a conscientização da população nas escolas e no campo sobre a adequada gestão de resíduos na zona rural. Atualmente, 113 centrais no País realizam a coleta e o encaminhamento dos resíduos.

A Central de Ituverava atualmente atende a população e agricultores de 34 municípios, sendo 26 no Estado de São Paulo e oito em Minas Gerais, recolhendo embalagens plásticas rígidas, aços laváveis e papelões que podem ser reaproveitados; e as flexíveis aluminadas, que por estarem contaminadas, precisam ser incineradas. O trabalho realizado pela equipe já rendeu o primeiro lugar na 17ª Edição do Prêmio da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef) 2013/2014.

“Esse trabalho, anteriormente, era realizado apenas por revendedoras e cooperativas. Em 1999, já desenvolvíamos um projeto deDia Nacional do Campo Limpo, comemorado anualmente em 18 de agosto, tem uma programação especial para consicentizar sobre a gestão de resíduos (Foto: Divulgação) orientação ao homem do campo, mas a dúvida era como fazer para ensiná-lo a separar as embalagens, se a destinação era feita apenas em Guariba, que fica a 150 km de Ituverava?”, disse a coordenadora de Extensão Rural da Fafram e gerente da Central, Regina Eli de Almeida Pereira, que participou de todo o processo para a instalação da unidade na Faculdade.

“Na Central, fazemos o agendamento para retirar o material no local ou receber do produtor. Então, separamos por tipo de plástico, fazemos a prensagem e enfardamos a granel compactado em lotes de até 13, 5 toneladas”, explicou Regina.  Os fardos são então transportados por meio de logística reversa e encaminhados às recicladoras credenciadas, que fabricam novas embalagens de insumos agrícolas e conduítes, ou às empresas responsáveis pela incineração. Uma tampa poderá dar origem a uma nova tampa, uma embalagem vira outra embalagem e assim por diante”, contou.

O Brasil é o país que realiza a melhor gestão de resíduos da agropecuária, destinando atualmente 94% das embalagens primárias de defensivos agrícolas do campo para a reciclagem ou incineração. O percentual é superior à destinação de 33% das embalagens nos Estados Unidos e de 70% em países como o Canadá e a França. A ação resulta da conscientização dos agricultores promovida pela indústria, organizações não governamentais e, mais recentemente, pelo engajamento do meio acadêmico.

Para o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, o apoio da Secretaria a iniciativas que promovem o correto descarte de embalagens e resíduos agropecuários está de acordo com as diretrizes do governador Geraldo Alckmin, de orientar o pequeno e médio produtor paulista e de buscar o equilíbrio entre a produção e o meio ambiente. “O produtor é amigo do meio ambiente, ele sabe da importância de reciclar, reaproveitar e cuidar dos recursos naturais para continuar produzindo com qualidade e garantindo a sucessão no campo”, avaliou o titular da Pasta que, como deputado federal, foi o relator da Lei nº 12.305, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Orientação
Além de realizar o recolhimento das embalagens, a equipe da Central de Ituverava promove palestras com orientações às crianças, adolescentes e agricultores, abordando as práticas do Plano Nacional de Resíduos Sólidos.

Somente neste ano, foram ministradas 46 palestras do Programa de Educação Ambiental (PEA) às crianças do 4º e do 5º ano do Ensino Fundamental da região. Na visita, elas recebem um kit de material didático contendo apostilas, jogos de tabuleiro e podem acessar o site com brincadeiras educativas.

A equipe de Ituverava também realizou nove palestras com os alunos dos cursos técnicos agropecuários e do ensino superior, iniciativa promovida pelo Programa “DNCL Universitária”. Também foram promovidas duas palestras nos eventos “Dia de Campo” e “Portas Abertas” com o objetivo de informar os produtores sobre como usar e lavar o Equipamento de Proteção Individual (EPI), utilizado na aplicação dos defensivos; quais os resíduos agropecuários; como fazer o descarte ou tratamento, entre outras questões.

Crianças participam de palestras para aprender importância de dar a correta destinação aos resíduos (Foto: Divulgação)“Com a Lei dos Resíduos Sólidos, passamos a dar o exemplo para outros produtores, principalmente no que diz respeito à logística reversa”, explicou Regina. “No Dia Nacional do Campo Limpo, comemorado em toda a rede do projeto no dia 18 de agosto, organizamos atividades para que os produtores e demais visitantes possam conhecer a nossa estrutura de trabalho”.

A bióloga Mariana Costa Vigarani, que iniciou as atividades na Central há dois anos como estagiária, atualmente é responsável por ministrar as palestras e controlar o sistema de agendamentos para entregas e retiradas dos materiais das propriedades rurais. “Além de ser uma unidade de recebimento, nós temos o dever de cuidar também da parte educacional junto aos produtores”, disse. “Neste ano, o Inpev propôs como tema a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Criamos uma palestra para orientar todos os públicos sobre a destinação dos resíduos provenientes do meio agrícola, assim como os resíduos hospitalares e residenciais”, explicou Mariana.

O estudante do 4º ano de Agronomia da Frafram Diego Andrade é um dos estagiários do programa e ressalta a importância das ações realizadas. “A mudança começa por nós mesmos. Tentamos fazer com que o produtor mude a sua atitude, pois ele também fará com que as outras pessoas a sua volta mudem. Este é um programa autossustentável, não temos fins lucrativos, queremos apenas conscientizar a sociedade”, afirmou Andrade, que pretende utilizar a sua experiência no estágio que realizará em uma fazenda em Minnesota, nos Estados Unidos, no final do ano.

Por: Paloma Minke
Fotos: João Luiz e Divulgação Central de Ituverava

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: