Em formatura da Fatec Pompeia, Arnaldo Jardim destaca a importância da agricultura de precisão para o desenvolvimento do setor

Postado em: 13/02/2017 ás 16:01 | Por: Comunicação SAA

Secretário Arnaldo Jardim foi o patrono da IX Turma do tecnólogo em Mecanização em Agricultura de Precisão na Fatec Shunji Nishimura, em PompeiaO desafio de produzir alimentos de forma equilibrada e sustentável ganha um reforço a partir da utilização dos mecanismos da agricultura de precisão, conforme ressaltou o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, aos tecnólogos em Mecanização em Agricultura de Precisão da Faculdade de Tecnologia (Fatec) Shunji Nishimura, em Pompeia. O titular da Pasta foi o patrono da IX Turma do curso, composta por 35 alunos, que se formou no dia 10 de fevereiro de 2017.

“Vocês chegam num momento desafiador, mas ao mesmo tempo muito transformador para o mercado. Precisam fazer frente a um momento em que a agricultura deve alimentar o mundo de forma sustentável, gerando novas oportunidades, sem transformar o pequeno, médio ou grande produtor em fonte de conflito, mas sim em elos complementares da cadeia”, afirmou Arnaldo Jardim, que participou de atividades com os alunos como o plantio de um ipê amarelo, o descerramento de placa nas instalações da instituição de ensino e a cerimônia de colação de grau com familiares e autoridades do município.

Ao incentivar os alunos na busca constante pela inovação e atualização profissional, o secretário ressaltou que a geração de bons novos profissionais depende da qualidade do ensino e do cuidado por parte das instituições formadoras. “A população de São Paulo se orgulha da decisão do governador Geraldo Alckmin de instituir um sistema de tecnologia e formação técnica acadêmica que permite que vocês façam a diferença para a sociedade paulista e brasileira e para a melhoria geral da condição de vida. Por isso, é importante reconhecer instituições como o Centro Paula Souza e a Fundação Shunji Nishimura, incorporadas numa parceria público-privada de sucesso”, afirmou o secretário.

“Em momentos de crise econômica, a criatividade e o dinamismo fazem a diferença, assim como a necessidade de valorizar a educação”, afirmou a prefeita de Pompeia, Tina Januário.

A área de mecanização é crucial para a agricultura atualmente, avaliou o formando Flávio Henrique Licório Leiva. “Enquanto o agrônomo conhece bem as condições da planta, solo e clima, nós promovemos a interação desses fatores com as máquinas agrícolas. Ao conhecer bem o seu funcionamento, é possível trabalhar com o manejo de tempo entre as operações, o rendimento operacional, para garantir 100% do seu aproveitamento”, afirmou.

Para o formando Edir Gilberto Nisczak, que já trabalha na área agrícola, a  área oferece boas perspectivas. “O curso me ajudou a me posicionar bem no mercado e, hoje em dia, sou gerente agropecuário de um grupo no Mato Grosso, onde desenvolvemos no parque operacional todas as atividades voltadas à tecnologia, como mapeamento de fertilidade e aplicações de taxa variável”, disse.

Big Data do Agronegócio

Seguindo a tendência de agregar tecnologia ao setor, a Fatec Shunji Nishimura realizou, no dia 10 de fevereiro, a aula inaugural do curso de Big Data no Agronegócio. Com duração de três anos, a capacitação possibilita ao profissional criar infraestrutura de armazenamento de dados na nuvem, desenvolver aplicativos para web e dispositivos móveis, além de processar e analisar grande volume de dados com alto valor para o processo produtivo agrícola e a rede do agronegócio. 

De acordo com o engenheiro agrônomo Carlos Otoboni, diretor da Fatec Shunji Nishimura, o Tecnólogo em Big Data do Agronegócio é um avanço do curso de Agricultura em Precisão, de forma a dar um passo à frente na gestão de dados do agro. “São cerca de 600 informações por segundo de operação, clima e pragas e o curso prepara para a geração de inteligência computacional para tomar decisões que levem a ganhos de produtividade, econômicos e ambientais”, explicou.

Para o secretário Arnaldo Jardim, o volume de informações gerado no setor precisa ser adequadamente sistematizado, uma vez que será decisivo para melhorar a atividade no campo. “Trata-se do primeiro curso oferecido na América Latina voltado ao setor e coloca o Governo do Estado, por meio do Centro Paula Souza, junto com a iniciativa privada, em um pioneirismo fantástico que possibilitará um salto de qualidade no manuseio de dados e na agricultura tecnológica”, afirmou.

Por: Paloma Minke
Fotos: João Luiz

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: