Debate sobre o controle biológico reúne 700 pesquisadores do mundo inteiro em Ribeirão Preto

Postado em: 09/06/2017 ás 11:20 | Por: erick

Simpósio de Controle Biológico (Siconbiol) reuniu mais de cientistas, pesquisadores e educadores de todo o Brasil e do mundoMais de 700 cientistas, pesquisadores e educadores de todo o Brasil e do mundo participaram, entre os dias 4 e 8 de junho, da 15ª edição do Simpósio de Controle Biológico (Siconbiol), o principal evento em controle biológico da América do Sul, promovido pela Sociedade Entomológica do Brasil (SEB), Ciências Agrárias e Veterinárias, da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (FCAV/Unesp) e Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (EsalqUSP), em Ribeirão Preto, com a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

Durante o evento, o titular da Pasta Estadual lançou o Programa de Inovação e Transferência de Tecnologia em Controle Biológico (Probio), que reúne tecnologias desenvolvidas pelo Instituto Biológico (IB), juntamente com o diretor geral, Antonio Batista. "Nosso programa de inovação e transferência tecnológica em controle biológico é uma grande contribuição para que, juntos, possamos ampliar o conceito em toda agropecuária brasileira", afirmou o secretário. 

O Instituto Biológico é referência brasileira em pesquisas na área e já atendeu 46 biofábricas para produção dos agentes de controle, localizadas em São Paulo, Minas Gerais, Alagoas, Rio de Janeiro, Tocantins, Mato Grosso, Paraná, Bahia e no exterior. “Promovemos a inovação e a transferência de tecnologia por meio de ações voltadas à geração de conhecimentos e prestação de serviços”, explicou Antonio Batista.

O novo programa do IB visa contribuir para superar alguns desafios no uso de agentes de controle biológico, como a seleção de raças mais virulentas, o aumento de tempo de prateleira dos produtos, o oferecimento de alternativas de formulações, controle de qualidade mais efetivo e a melhora na tecnologia de aplicação, reunindo serviços para cana-de-açúcar, soja, morango, banana, seringueira e plantas ornamentais. 

De acordo com a engenheira agrônoma Eliane Quintela, presidente da SEB, é necessário o desenvolvimento de estratégias que atendam à necessidade da agricultura, além dos estudos de eficiência, formas de aplicação, formulação, tecnologia de aplicação e compatibilidade com inseticidas convencionais. "A Sociedade Entomológica do Brasil é a segunda maior do mundo e promoveu o evento com o objetivo de unir o maior número de pesquisadores que trabalham o  controle biológico no Brasil e na América Latina", disse.

Doutora em Entomologia pela Universidade da Flórida, Eliane participa do programa de pós-graduação em Fitossanidade da Universidade Federal de Goiás, coordenando o curso de Controle Biológico na área de Agronomia e Entomologia Agrícola, atuando principalmente nos temas manejo integrado de pragas, controle biológico, uso de extratos botânicos no controle de pragas, ecologia de artrópodes em cultivos transgênicos e em sistemas de produção orgânica.

Para o professor José Roberto Postali Parra, titular do Departamento de Entomologia e Acarologia da Esalq/USP, o Siconbiol se firmou como o mais importante fórum de discussão dos avanços no conhecimento científico sobre controle biológico e no desenvolvimento e aplicação de tecnologias advindas desta pesquisa, apropriadas para o manejo de populações de insetos, ervas daninhas e outras pragas de interesse para a agricultura e a saúde pública. "Trabalho com controle biológico há 40 anos, especialmente em citros e cana-de-açúcar, uma área que está em franca evolução no Brasil. O interesse pela pesquisa pode ser demonstrado pelo número de participantes deste evento", contou. 

O professor Sergio Antonio de Bortoli, da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, da Unesp, e colaborador da USP junto ao programa de pós-graduação em Entomologia, também participou do evento e enfatizou a importância dos estudos em pragas agrícolas, biologia, criação e nutrição de insetos. "Faço criação de insetos para que eles sejam utilizados no controle das pragas - crio os benéficos para que possam destruir os maléficos" explicou. 

Com o tema "Os novos desafios do controle biológico”, o evento proporcionou aos participantes mini simpósios, mesas redondas, pôsteres, trabalhos orais, exposições e palestras de 50 pesquisadores, que abordaram temas sobre a atividade com bactérias, vírus, predadores, fungos, nematoides, parasitoides, além de biotecnologia e seletividade. A palestra magna foi proferida pelo professor norte-americano Marcos Kogan e, na solenidade de abertura, foi homenageado o Professor Sérgio de Freitas, especialista nos estudos de controle biológico, criação de bicho lixeiro (Chrysopidae), Biossistemática de Chrysopidae (Neuroptera), estudos populacionais de crisopideos (Chrysopidae) com uso de marcadores moleculares.

O Simpósio de Controle Biológico foi criado há 26 anos por iniciativa de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e tornou-se um expressivo evento científico com regularidade bienal. As 13 edições do evento foram realizadas por grupos de pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Fiocruz, da USP, da UFLA e do Instituto Biológico. 

Por Beatriz Pinheiro
Fotos: João Luiz (disponíveis no link: https://www.flickr.com/photos/agriculturasp/albums/72157681624431904)

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: