CATI Regional Mogi das Cruzes articula instalação de estações meteorológicas na região do Alto Tietê

Postado em: 06/01/2022 ás 10:13 | Por: Assessoria de Comunicação

Com projeto da Fundag, recursos do Fehidro e parceria com prefeituras municipais, estão sendo instaladas 10 Estações Meteorológicas de Monitoramento Climático

Os dados gerados pelas estações meteorológicas podem ser acessados por município, no link http://www.ciiagro.org.br/ema/index.php?id=371

De acordo com David Rodrigues, diretor da CATI Regional Mogi das Cruzes, unidade da Secretaria de Agricultura e Abastecimento responsável pelos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) na região, as estações meteorológicas reúnem dados para análise do tempo e registro das variáveis meteorológicas e climáticas, sendo instrumentos eficazes que geram informações essenciais para nortear a produção agrícola. “O trabalho de monitoramento das questões climáticas é muito importante na promoção de uma agricultura mais sustentável, com muito mais precisão, o que só é possível por meio de parcerias como a que está acontecendo entre Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola (Fundag), o Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), a CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral) e as prefeituras de municípios de nossa esfera de atuação”, comenta David, explicando que, a partir das estações, será possível monitorar dados importantes como precipitação, temperatura, umidade relativa do ar, vento, entre outros.

A primeira cidade a receber as estações foi Mogi das Cruzes, onde quatro unidades foram instaladas no Mercado do Produtor, propriedades rurais do Distrito de Jundiapeba e Biritiba Ussu e na Associação dos Agricultores de Cocuera. “Em Mogi das Cruzes, a parceria aconteceu por meio da Secretaria Municipal de Agricultura”, salienta David, informando que, ao todo, serão instaladas 10 estações nos municípios da região do Alto Tietê, que abrange a área de produção conhecida como Cinturão Verde de São Paulo.

Para Gervásio Warikoda, produtor de hortaliças no Distrito Nossa Senhora dos Remédios, no município de Salesópolis, que cedeu espaço em sua propriedade para a instalação de uma unidade, todos ganham com este trabalho. “A instalação dessa estação metrológica na minha propriedade só foi possível pela solicitação que os técnicos da CATI fizeram à Fundag. Para mim e os outros agricultores locais foi uma novidade maravilhosa. Ter essa unidade em nossa cidade é um ganho para todos, pois ela mede umidade do solo e do ar, temperatura, níveis de radiação solar e velocidade do vento, porque tem um pluviômetro, entre outras coisas. Agradecemos à CATI pela iniciativa e contamos com seu apoio técnico para nos orientar, para que possamos aproveitar essa tecnologia, visando aprimorar o nosso trabalho na agricultura”.

Diretor do Departamento de Agricultura Familiar do município de Suzano, Minor Harada fala sobre a importância dessa tecnologia para os agricultores locais. “Nossa cidade foi contemplada com duas estações. Agradecemos a todas as entidades envolvidas, bem como à CATI, pela articulação que permitiu que nossos agricultores tivessem acesso a esse equipamento que fornece dados importantes aos produtores, para que norteiem seus plantios, entre outras ações”, ressalta o diretor, informando que a estação é importante para a cidade como um todo. “Com os dados de quantidade de chuva, previsão do tempo e temperatura, entre outros, podemos adotar ações preventivas, principalmente em áreas de risco no município. Com isso, podemos afirmar que essa estação meteorológica é de suma importância para todos os munícipes, das áreas rural e urbana”. 

David Rodrigues complementa a fala de Minor Harada: “O principal objetivo é auxiliar os produtores rurais, que têm sofrido com as intempéries climáticas dos últimos anos. Além de possibilitarem a previsão do tempo localizada, os novos equipamentos fornecerão dados importantes para eles, como quantidade de chuva; temperaturas máximas, mínimas e média; umidade relativa do ar e do solo; direção e velocidade do vento; norteando a melhor época de plantio, manejo de irrigação, aplicação de fertilizantes e outras ações no campo. Mas também são relevantes para a adoção de medidas preventivas quanto às intempéries climáticas nas áreas urbanas”, explica, reforçando que o trabalho de monitoramento das questões climáticas é imprescindível para os produtores rurais. “Por isso, o envolvimento e a articulação da extensão rural em projetos como esse são fundamentais para a efetivação das ações”.

Texto: Cleusa Pinheiro

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: