Barretos retoma tradição de exposição agropecuária e quer voltar a ser capital do boi

Postado em: 08/10/2015 ás 20:29 | Por: erick

expobarretos2015A cidade de Barretos outrora era conhecida como a Capital da Pecuária e agora quer merecer esse título de volta. Com apoio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e presença do secretário Arnaldo Jardim, a 48ª Expo Barretos foi aberta oficialmente na noite da última quarta-feira, 8, no Parque do Peão, reunindo lideranças políticas e sindicais e produtores rurais que querem a região se destacando no mapa brasileiro de prestígio agropecuário.

Arnaldo Jardim lembrou que “do ponto de vista histórico, Barretos é a capital do boi”, destacando que a cidade atualmente famosa por sua festa de rodeio foi a sede do primeiro congresso pecuário do Brasil, realizado em abril de 1941. O retorno da realização da Expo Barretos em 2013 teve como objetivo recuperar essa tradição pecuária, que perdeu espaço ao longo do tempo para Araçatuba e Minas Gerais.

Para o secretário, o retorno da feira “recupera uma tradição e dá sequência a uma história e trajetória que honram o Estado de São Paulo. O plantel de Nelore e Senepol que há aqui não tem paralelo no Brasil”. Exemplo de animal de qualidade citado ainda por Arnaldo Jardim é o Boi 7.7.7, desenvolvido pela Secretaria, por meio da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), logo ao lado de Barretos, no Polo Regional Alta Mogiana, em Colina.

Os animais são resultado de pesquisas do Governo do Estado que desenvolveram um novo conceito de boi, com mais ganho de peso e qualidade de carcaça em menos tempo. O boi 7.7.7 da Apta leva 24 meses para atingir 21 arrobas (as três vezes o sete do nome), contra 18 arrobas em 36 meses da média nacional. “Isso é transformador, é um novo conceito que agrega valor. O produtor economiza insumos com este um ano a menos no tempo para abate”, explicou o secretário.

Um dia já conhecida como a melhor feira agropecuária do País, a Expo Barretos em sua 48ª edição quer realizar o sonho de pecuaristas da região que enxergam no evento uma excelente vitrine de negócios e de valorização de sua produção. Um título como Capital da Pecuária valoriza todo o plantel de Barretos e entorno e leva mais lucro ao homem do campo.

Para o presidente do Sindicato Rural do Vale do Rio Grande, Cyro Penna Junior, organizador da feira, esse movimento de reativação da exposição em Barretos coloca os produtores da região “em busca de um sonho, o de trazer de volta à cidade a fama de Capital da Pecuária”. Para realizar este desejo, o Sindicato presidido por Cyro buscou parcerias com entidades como a Cooperativa de Produtores Rurais (Coopercitrus) e Fundação Monteiro de Barros.

O apoio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento já vem de longa data, desde os anos 1940, quando a então Associação Rural Vale do Rio Grande buscou o Governo do Estado para realizar, em 17 de março de 1945, a 1ª Exposição Regional de Animais, inaugurando o Recinto de Exposições. Em 2015, a Secretaria continua parceira da Expo Barretos inclusive com estande no evento.

Doçura
Quem for à 48ª Expo Barretos poderá conhecer o trabalho da Cooperativa de Produtores Rurais de Barretos e Região. No espaço montado em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) da Secretaria, os 84 cooperados expõem sua produção de hortaliças e exibem orgulhosos o caminhão-baú no valor de R$ 150 mil adquirido por meio do Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado.

O veículo é usado pela Cooperativa para transportar uma produção que vai diretamente para o prato das crianças nas escolas de Guaíra, Barretos, Colônia e Colina, além de levar mais saúde a quem está internado na Santa Casa de Barretos. Responsável pela Casa da Agricultura de Barretos, o engenheiro agrônomo Rolando Salomão Carvalho explicou que a Expo é uma grande oportunidade para esses pequenos produtores.

Rolando reconhece que é importante marcar presença na feira “porque o evento serve de vitrine para o trabalho deles. As pessoas chegam para conhecer, querem saber mais sobre a produção e fazer negócios”. Os cooperados agora torcem para terem sua nova iniciativa de negócios aprovada pelo Microbacias II.

Depois do caminhão, a Cooperativa pleiteia a construção de um barracão e a compra de maquinários para o processamento da produção, em um projeto no valor de R$ 680 mil. Com o terreno já ganho da Prefeitura de Barretos, os produtores querem conquistar mais mercado com produtos mais profissionais, com mais condições de concorrer com outras marcas no supermercado.

Mas poucas fabricantes de doces podem se orgulhar tanto quanto a Associação de Empresários Rurais de Três Barras, integrante da Cooperativa. Os saborosos doces em conserva produzidos por João Flávio Taveira têm um especial valor agregado em sua fabricação: eles foram a saída para muitas mulheres continuarem no campo e não precisarem buscar seu sustento na cidade – elas permanecem onde desejam estar.

Isso porque João decidiu investir em um produto que aproveita as frutas de seu quintal, antes nem sempre utilizadas, para fazer principalmente potes de doce de mamão e abóbora - e leite. “Antes eu perdia tudo isso no fundo do meu quintal. Foi um jeito de não perder mais as frutas e agregar valor à minha produção”, conta o orgulhoso João Flávio, fornecedor de merenda escolar desde 2001.

A alegria continua ao explicar que a produção, patenteada, é toda processada por mulheres moradoras da zona rural da região de Barretos que antes não tinham alternativa de renda. Mais feliz ainda ele se mostra ao falar do caminhão adquirido por meio do Microbacias II. “Melhorou nosso trabalho em uns 70% pelo menos”, enumera, explicando que com o veículo o produtor não precisa mais pagar frete – aumentando seu lucro.

O estande da Cati e da Cooperativa terá ainda capacitação sobre uso de maquinários no processamento da produção agropecuária para, aos poucos, acostumar os mais resistentes às inovações tecnológicas necessárias para garantir competitividade ao pequeno agricultor.

Homenageado
A 48ª Expo Barretos foi momento também de homenagear em sua noite abertura a trajetória de Fábio de Salles Meirelles, presidente da Associação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp). “O senhor aglutina a todos nós e tem o carinho do governador Geraldo Alckmin, que não raras vezes buscou com o senhor orientações em momentos importantes para o Estado”, destacou Arnaldo Jardim.

Responsável pelo comando de 130 sindicatos rurais paulistas, Fábio de Salles Meirelles agradeceu a homenagem e pediu força de ideais para que a agropecuária continue sendo o único setor da economia brasileira que ainda resiste à crise. “O Brasil precisa de pessoas que façam o que tem que ser feito, sem temer”, pediu o presidente da Faesp.

A programação da 48ª Expo Barretos segue até o próximo domingo, 11 de outubro, com ciclo de palestras sobre pecuária de corte com participação do Instituto de Zootecnia (IZ) da Secretaria, leilão e exposição de gado com as raças Nelore e Senepol, shopping rural da Coopercitrus, exposição de pequenos animais, de orquídeas, de cavalos Quarto de Milha, além de encontro de muladeiros e leilão beneficente em prol do Hospital de Câncer de Barretos.

Por Hélio Filho
Mais informações
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11) 5067-0069

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: