A 49ª Reunião Ordinária do Consea-SP aborda o apoio ao pequeno produtor e os cuidados com a segurança dos alimentos

Postado em: 14/02/2018 ás 17:08 | Por: Vinicius Matheus

A reunião teve como objetivo de avaliar os avanços do Encontro Paulista da 5° Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (CesanSP+2) e as atividades das Comissões Regionais de Segurança Alimentar Nutricional Sustentável (CRSANS).O Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Consea-SP), órgão consultivo do governo do Estado de São Paulo, vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, realizou na quarta-feira, 07 de fevereiro, sua 49° Reunião Ordinária, na sede da Pasta, Capital. O evento reuniu 52 participantes entre membros do conselho e convidados, com objetivo de avaliar os avanços do Encontro Paulista da 5° Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (CesanSP+2) e as atividades das Comissões Regionais de Segurança Alimentar Nutricional Sustentável (CRSANS).

A conselheira Vanuzia Teixeira Batista, representante da CRSANS da Baixada Santista, informou que os vídeos sobre o Encontro disponibilizados nas redes sociais do Consea-SP e de seus órgãos vinculados alcançaram 49 mil visualizações. “É um material rico em informações e propostas para efetivar uma política pública no Estado de São Paulo”, afirmou.

Na sequência, os conselheiros relataram as atividades desenvolvidas pelas suas comissões e conselhos municipais. A reunião contou ainda com a apresentação de duas palestras: o Projeto Estadual Bom Preço do Agricultor, coordenado por Emílio Bocchino, que destacou o duplo benefício para a sociedade, uma vez que o produtor, ao receber capacitação para produzir um alimento seguro, consegue aumentar a renda, e os consumidores ingerem um alimento de boa qualidade a preço justo.

Mantendo o foco na sanidade dos alimentos, Rafael de Melo Pereira, diretor do Centro de Fiscalização de Insumos e Conservação do Solo (CFICS), vinculado à Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), explicou como é realizada a fiscalização do uso de agrotóxicos nas lavouras, incluindo a pulverização aérea. “Nós trabalhamos em conjunto com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), então, eu sempre digo, o avião no solo é com a gente, quando está no ar a responsabilidade é deles”, brincou, enfatizando que seu departamento fiscaliza desde a compra dos defensivos agrícolas, até a aplicação e destinação correta das embalagens vazias.

Palavra de conselheiro

Além de envolver representantes do poder público, sociedade civil e do terceiro setor nas discussões sobre Segurança Alimentar, ampliando o conceito para englobar desde a merenda escolar de boa qualidade até as boas práticas de produção agrícola e mecanismos que facilitem o acesso dos agricultores familiares aos certames de compras públicas, o Consea-SP também atua como um fórum onde os vários atores que compõem o conselho estadual e suas vertentes municipais podem aprender e ensinar suas práticas. Essa é a opinião de Gislaine Oliveira Gomes, membro do Consea-SP e representante da CRSANS de Presidente Prudente.

Como presidente da Associação dos Produtores Rurais de Dracena (APRD), Gislaine Gomes, que é produtora de leite, sempre procurou programas e projetos que pudessem beneficiar os agricultores de sua região. Foi assim que tomou conhecimento, apresentou uma proposta e recebeu recursos do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II – Acesso ao Mercado para a instalação de um laticínio e de um barracão para beneficiamento de frutas, verduras e legumes.

Para Gislaine Gomes, que começou a atuar no Consea-SP somente a partir do 2º semestre de 2016, fazer parte do Conselho é extremamente importante, uma vez que “você consegue trazer para seu município as informações e experiência de outros grupos e levar para dentro do Conselho todas as dificuldades que você encontra dentro do que você executa, que você vive”, ressaltou.

“Fazer parte do Consea-SP me ajuda muito nas outras atividades que desenvolvo. Eu trabalho com alimentação escolar no município, sou presidente da APRD, isso faz com que as coisas comecem a ser intercaladas e se desenvolvam. A gente tem alguns entreveros, então necessita que o governo interfira”, explicou Gislaine Gomes, ressaltando a experiência altamente positiva que os produtores têm com relação a Fundação e Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp) e a Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura, além do apoio permanente do titular da Pasta, secretário Arnaldo Jardim.

Outra conquista de Gislaine foi a Cooperativa dos Produtores Agropecuários de Dracena (Coopadra), entidade criada para dar suporte comercial (emitir notas, participar de concorrências) aos produtores ligados a APRD.

Por: Nara Guimarães

Fotos: Paulo Prendes (disponíveis em https://www.flickr.com/photos/agriculturasp/albums/72157691448007351)

Galeria do Flickr

Nenhuma imagem disponível.

Galeria do Site

Nenhum áudio disponível.

Informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11)5067-0069

Acompanhe a Secretaria: